Educar Transforma

Educar Transforma

Acreditamos que educar é criar condições para que possa emergir o Novo (o homem novo, a sociedade nova e, quem sabe, o mundo novo).

Esses ideais educativos nos levam a uma educação, de um modo geral, e a uma educação matemática, em particular, que transforma o ser humano. Para isso, acreditamos em uma educação matemática com ênfase na criatividade.

Existe um contraste primordial quando observamos o quão surpreendentes, engenhosos, exploradores de possibilidades, imaginativos, inventivos e criativos são as crianças e os jovens em sua vivência normal e quão passivos, repetitivos, pouco participativos, eles são no âmbito escolar, nas aulas de Matemática.

Uma primeira tentativa de explicação envolve o aspecto abstrato da Matemática e alheio aos interesses infanto-juvenis. Nesse sentido, as contextualizações próximas das vivências dos alunos podem iluminar um dos caminhos a seguir. Outro foco de luz promissor é pensar que os problemas sugestivos trabalhados com metodologias adequadas, podem revelar um nível razoável de criatividade tanto nos alunos como no professor e, com isso, contribuir com uma educação mais significativa e mais transformadora.

A resolução de problemas não rotineiros é o alicerce, é uma excelente preparação para os alunos enfrentarem situações novas, quaisquer que sejam elas, escolares ou não. Assim, sugerimos que na escola haja um tempo específico dedicado à solução criativa de problemas, quebra-cabeças e enigmas. Nesse tempo, é importante desenvolver uma atmosfera de busca, de redescoberta, de iniciativas, de pensamento produtivo, de explorações intuitivas liberando a imaginação criativa, num clima de respeito por questões originais, de respeito por ideias imaginativas, de suspensão de julgamentos com padrões estereotipados e de produção de ideias em quantidade.

Sentimos que a educação matemática valorizando o criativo, a originalidade e o significativo, pode contribuir fortemente para uma mudança radical em educação fomentando a imaginação, a iniciativa, o explorar de situações, a resolução de problemas e o pensar com autonomia. Essa educação matemática, assim concebida, pode ser um dos vetores a apontar para uma Educação que Transforma.